Senta que lá vem história...

Tinha comentado com vocês sobre os problemas que o moleque tem enfrentado no seu início de vida escolar.
 
No meio do mês passado tive outro problema, ele não queria ir para escola. Chegou a ficar doente para poder fica em casa e chorando me pedia para ficar aqui pois, em casa ele aprendia mais...foi triste ouvir isso, doeu e muito.
 
A escola dele é boa e ensina bastante, mas para ele não era o suficiente só o abecedário mesmo porque ele já sabe, começou a não prestar mais atenção, deixou de caprichar e se recusava a ler dizia não  adiantava se seus amigos não sabem...tem uma coleguinha que já sabe ler e escrever melhor do que ele e é lógico que ele compete com ela o tempo todo rsrs.
 
Ele ficou uma semana em casa e a sua professora me perguntou o motivo e expliquei que estava acontecendo, ela ficou triste se sentiu culpada e não queria perde-lo pois é ativo na escola, inteligente, sensível e que ele interferia positivamente no andamento da sala.
 
Expliquei a ela que já sabia que isso poderia acontecer e que já tinha conversado com a coordenadora sobre isso que de forma alguma a culpa era dela e sim ele ter uma forma de aprender diferente, é muito curioso e esta sempre disposto a aprender coisas novas e quando isso não ocorre ele se sente entediado.
 
Enfim acredito que ela me entendeu e fez uma proposta na roda de conversa no início da aula ele apresentasse algo para as outras crianças.
 
Conversei com ela na sexta e já me animei e passei para ele o que iria acontecer, vi o brilho nos seus olhos dele voltar e logo a pergunta...vai demorar muito para chegar segunda-feira rsrsrs isso foi música para meu ouvidos.
 
Pesquisamos sobre a Índia, costumes, comida, vestuário, transporte, o Taj Mahal, o rio Ganges, os bichos sagrados. Ele não sabe ler ainda com desenvoltura para que pudesse fazer fichas como num seminário normal de escola, mas tem uma memória de elefante e decora muito rápido, mas ficou inseguro em apresentar algo na frente das outras crianças.
 
Fui sincera e disse que eu fazia isto na escola, mas sempre fui envergonhada...ele se apressou e disse eu também sou. Então falei, vamos procurar um especialista...ele riu e disse o papai né mamãe?
 
Eu falei... mas não é rsrsrs, vamos fazer assim pegamos estas figuras colocamos em fichas e depois a mamãe fala sobre elas, depois damos ao papai e vamos ver como ele faria ok?
 
Tá bom...
 
Aprontamos tudo e mostramos para o papai e ele como sempre fez um show particular, o moleque se animou deu muita risada. Estudou um pouco e pronto veio nos apresentar...que coisa mais rica tão pequeno, tão animado, tão compenetrado.
 
Curiosidade ele apresentou na mesma semana em que teria a festa das cores em S. Paulo em comemoração ao início da primavera, ele queria muito ir...mas asmático e poeira não combinam (a tinta da brincadeira é em forma de pó, então nem pensar ...uma pena)
 
Acordou na segunda repetindo tudo e afinal apresentou. Ficou bravo pois, as crianças não queriam prestar atenção, como ele me disse elas não estavam preparadas para aprender.
 
Perguntei a ele como se sentiu?
 
Ele me respondeu: muito bem mãe já vou logo pesquisar sobre outras coisas, alguma coisa eles vão gostar e aprender comigo né mãe?
 
Sim claro que vão, você vai ver!!!
 
E assim tem sido agora, já nem precisa das fichas e sai contando na roda de conversa sobre o que aprendeu. A semana retrasada foi sobre bolinha de gude e o que ele mas gostou foi saber que um país africano Gambia usa bolinhas de gude para eleger seu presidente e adorou ver a urna eleitoral deles!!
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/story/2006/09/060922_gambia_bolinhas.shtml
 
Antes de ontem ele comentou que a Professora tinha orientado ele a pesquisar sobre plantas aquáticas, disse no dia que falaria sobre  a Vitória Régia... mas eu esqueci de fazer algo para mostrar paras as crianças e ele também. Hoje pela manhã falou: Mãe esquecemos...era hoje que eu deveria apresentar algo...
 
Caramba filho, será que consegue aprender algo enquanto a mamãe faz o café?

Ele disse é claro que sim...a mamãe riu muito de tão convencido que ele é.
 
Então lembrei da lenda indígena sobre a  Vitória Régia, ele amou e enquanto se arrumava recontou-a  pra mim como se fosse para os amigos... e a mamãe... bom a mamãe ficou toda cheia, pois não é que ele aprendeu mesmo em 15 minutos de café?

No programa  Quintal da Cultura passou sobre isso também, vejam:

 
Dentre as muitas alegrias da maternidade a melhor é poder acompanhar esta evolução dele tão de perto, não tem preço, não tem explicação do orgulho que sinto dele.
 
Fiquem atentos aos seus filhos, às vezes não é preguiça em aprender é falta de motivação, ou seja motivo para agir!!
 
Descubra o que encanta seu filho e invista, não terá erro!!!
 
Abraços
 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.