Será que a minha dúvida é a mesma de vocês?

Puxa não sei se é porque esta chegando o final de ano e ando um tanto reflexiva ou se sempre fui assim, não sei rsrsrs
 
Participo de vários grupos de discussão de pais ou somente mães, educadores, eles tem sido minha fonte de informação para alguns dos meus posts.
 
O que me chama mais atenção é que se você não pensa igual a maioria esta praticamente fadado a ser chamado de encrenqueiro e  até burro e por fim são tirados dos grupos.
 
Confesso que já presenciei discussões inteligentes e as mais cabeludas com trocas ofensivas e tudo mais e em algumas confesso também que  não consegui me segurar e entrei nas discussões, mas me arrependi profundamente, o ser humano ainda não sabe conviver com as diferenças intelectuais e de ideias.
 
 
Ultimamente o papo era a questão do parto, depois a amamentação e a nova é o tipo de educação.
 
Um exemplo: quem gosta de um tipo de seguimento educacional não admite de forma alguma que "alguém" ouse a pensar diferente.
 
Quando resolvi colocar meu moleque na escolinha, comecei a pesquisar as escolas, qual o tipo de ensino e linhas filosóficas...me encantei com tantas possibilidades, tantos tipos de aprendizado na minha humilde opinião acredito que um poderia ser o complemento de outro. Porém para algumas pessoas isso parece impossível eles defendem literalmente com unhas e dentes o que acreditam, se fecham isso...me lembram novamente aos ativismos insanos que beiram a loucura.
 
Em particular tenho estudado dois métodos que acho interessantes e em comum os dois começaram a serem utilizados primeiramente em crianças com alguma deficiência cerebral, um e que já tinha comentado por aqui o método do Glenn Doman e agora estou me aventurando no método Montessoriano.
 
Estes dois métodos tem ataques ferrenhos de oposicionistas, principalmente por terem sido iniciados com crianças com tal deficiência. Alguns chegam a mencionar que pais que ensinam o método do Glenn são pais que querem exibir seus filhos por saberem ler antes como se estivessem em vitrines e o Montessori por criar crianças individualistas e não prepara-las para o mundo cruel dos negócios e o meio empresarial, pois é ...quem é o certo nesta história?
 
Eu tenho uma teoria...
 
Acredito que alguns dos nossos educadores, debatem muito pouco ou nada sobre os métodos de ensino e quando o fazem se limitam ao que aprenderam na época da Faculdade, mas não procuram se aprofundar mais sobre o tema,  não conhecem pessoalmente as crianças que passaram por estes métodos, somente veem vídeos na internet e blogs e já saem emitindo opiniões sem ao menos conhecer a fundo sobre o tema, principalmente o método do GD, já  o montessoriano é aceito e feito por muitos educadores, os que atacam o montessorianismo são apenas leigos, pessoas que leem o inicio do estudo da Maria Montessori em deficientes mentais e já saem por ai falando que é coisa de criança deficiente (vê se pode?)
 
Outra coisa que penso é que alguns desses profissionais da área da educação não estão preparados e para as crianças de hoje. 
 
Antigamente não era assim, éramos mais devagar. Hoje em dia elas sabem com 2 anos ou até menos, manusear abrir fechar aplicativos em um tablete ou um celular melhor que muito adulto, elas navegam com uma fluência invejável então pressupomos, nós pais, que ela tem mais capacidade de aprendizado do que tínhamos com 6 ou 7 anos, por que não incentivar?
 
Vejo professores, pedagogos, psicólogos (claro não são todos) dizendo que nós pais queremos que a criança pule a infância...como assim??????
 
Acredito que estes profissionais que também são pais já perceberam que as crianças brasileiras, na sua maioria hoje são filhos únicos e a atenção dos pais é totalmente voltada a elas.
 
Hoje as crianças não ficam mais em casa largadas e brincando de qualquer coisa, e mesmo as mãe que tem 3, 4, 5 filhos para criar se "profissionalizaram" se assim podemos intitular, somos pesquisadoras, incentivadoras dos nossos filhos, somos atentas as mentes sedentas de saber!!!
 
Sabemos quais atividades melhoram a coordenação motora grossa, fina, ampla, global e ainda lembramos das brincadeiras antigas e quando não lembramos buscamos no Google, nos bate papos o que fazer com as crianças em casa... então educadores e defensores que criança tem que brincar... elas brincam e não é qualquer brincadeira somos criativas e informadas afinal somos mães da nova geração... ainda duvidam?
 
Penso que deu para entender que a criança vem para casa ela brinca não é?
 
Mas não é só isso ela também brinca na escola, não é muita brincadeira?
 
Depois chega na pré escola e continua a brincadeira e não mais que de repente a brincadeira cessa no ensino fundamental...será que não é por isso que fica difícil ensinar quem só sabe brincar?
 
O que não consigo entender é que porque "Aprender Brincando" e não "Brincar de Aprender" por quê não podemos fazer isso?
 
Porque os educadores não perguntam o que elas querem aprender?
 
 
Algumas crianças provavelmente vão querer aprender ler e com certeza vão externar isso primeiramente aos pais, que por sua vez vão tentar pedir para escola fazer isso, que normalmente irão se recusar dizendo que não podem pular fases.... e blá blá blá
 
Gente a fase delas não é nos anos 60, 70, 80, 90 a fase deles é 2013 quase 2014 a era deles é tecnológica, é rápida e eles aprendem mais rápido, será que só nós os pais que vemos isso?
 
Vejo por mim, meu filho querendo abrir um leque de aprendizado e eu tendo que segurar, porque ele ainda não pode aprender isso ou aquilo porque não é tempo, não é a sua fase. Por quê NÃOOOOOOOO?????
 
Por quê não acrescentar?
 
Por quê uma criança que ensinada a ler deste de bebê é tão ruim, que adultilização é essa que tanto falam?
 
Para mim adultilização não é ensiná-las a ler precocemente, não acredito que possa ser pior que ver...  crianças que tem que cuidar de irmãos como se fossem os pais, crianças que praticamente moram sozinhas e tomam decisões fora da sua idade  porque os pais estão trabalhando, crianças que participam de concursos de beleza, que fazem maquiagem isso sim é adultilizar.
 
As crianças vão continuar lendo livros infantis, fazendo coisas de crianças...desculpe os que sentirem ofendidos, mas acho que há um medo dos educadores em que essas crianças ao lerem deste cedo, elas possam se tornar crianças, mais desafiadoras, mais contestadoras, vão relatar erros...realmente acredito não tem Faculdade ainda que ensine a lidar com esta criança do "futuro".
 
Vejo relatos de educadores falando que os pais que ensinam a criança a ler desde cedo são exibicionistas e tal, recriminam demais...
 
Mais a letração começa bem antes da alfabetização e isso é normal é saudável.
 
(Letrar significa colocar a criança no mundo letrado, trabalhando com os distintos usos de escrita na sociedade. Essa inclusão começa muito antes da alfabetização, quando a criança começa a interagir socialmente com as práticas de letramento no seu mundo social. O letramento é cultural, por isso muitas crianças já vão para a escola com o conhecimento alcançado de maneira informal absorvido no cotidiano. Ao conhecer a importância do letramento, deixamos de exercitar o aprendizado automático e repetitivo, baseado na descontextualização)  fonte: Canal do Educador
 
Aprender a ler desde cedo pode ser uma brincadeira, saudável, como todas as outras. A alfabetização o entendimento do texto é a escola fundamental que vai iniciar, não consigo entender porque pegar uma criança já letrada é tão ruim assim...é só continuar o ensino ela vai mais rápido o entendimento é melhor e só e é só isso que os pais querem facilitar a vida estudantil do filho e não se mostrar como alguns acreditam.
 
Dizem de uma suposto transtorno psicológico que ninguém ainda comprovou e tudo muito novo aqui no Brasil e parece que tudo que é novo não é bem recebido.
 
Isto acontece até entre pessoas que fizerem cursos superiores tecnológicos e pessoas que ficaram anos estudando e se tornando bacharéis, doutores. Muitos profissionais bacharéis não aceitam a entrada no mercado de trabalho dos tecnólogos, tudo por quê?
 
Porque os tecnólogos aprendem o essencial em menor tempo e estão mais atualizados e capacitados nas novas tecnologias e investem muito menos na formação, então os bacharéis dizem: "Absurdo, eles não estão preparados"
 
Será que não?
 
Por que tudo que é novo não é bem recebido?
 
Por que este pensamento tão retrogrado num pais em crescimento como o nosso, antes de atacar algo vá a fundo, procure provas incontestáveis a médio e longo prazo, se não tiver é melhor se calar.
 
Estou encantada com o método Montessori, visão do mundo como um todo, de paz, da inserção da criança na sociedade, a preocupação com a autonomia e em preparar uma criança melhor para o mundo, do auto estudo, é uma pena que tenhamos poucas escolas por aqui com o método puro e não a formação construtivista que é similar, mas não é igual.
 
Estou aplicando em casa o método com ajuda do grupo do face Montessori para Mamães tem atividades interessantíssimas e como aplica-las passo a passo, o moleque está bastante animado com as novas informações.
 
Na realidade o que não só eu mas acredito que todos os pais interessados querem, e aproveitar todo o tempo disponível para apresentar o mundo para os filhos e não vejo porquê não fazê-lo.
 
Abraços
 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.