Outras mães, outros moleques...


Estava eu cá com os meus botões rsrsr pensando, mas e as mães de outros moleques, como será que é com elas...e assim estou lançando hj mais uma coluna no blog "Outras mães, outros moleques".
Convidei amigas de queridas para falar um pouco como é a vida delas com seus moleques...quer contar aqui como é ser mãe do seu moleque?
Escreva para nós no maedemoleque@gmail.com e conte como é pra vc!
Quem vai inaugurar esta coluna é minha amiga querida Thania do blog Diário de uma mãe de dois, ela tem um jeito irreverente e tão gostoso de contar as histórias do dia a dia dela com as crianças que eu me apaixonei desde o primeiro texto que li  no seu blog e desde então temos uma amizade virtual e que se ela deixar de me enrolar um dia iremos desvirtualizar em breve, muito breve rsrsrsrs...com vcs a Mãe de dois...
 
Pai e Mãe de dois
 
Bom primeiramente gostaria de agradecer a Mãe de Moleque pelo carinho de sempre com a minha pessoa, depois a confiança e a parceria de sempre.
Conheci o Mãe de Moleque através de muitos outras páginas e blogs q eu já acompanhava.
Mesmo eu não sendo ainda na época, uma mãe de moleque, me identifiquei quase que momentaneamente.

Fiquei muito feliz com o convite de escrever pro blog.
E o tema q escolhemos foi fácil e ao mesmo tempo complicado.

Eu nunca quis, na realidade, ser mãe de menino.
Qdo descobri q a Anna Laura seria uma linda menininha, fiquei imensamente contente, afinal, era um sonho de infância se realizando.
A gente pensa em menina, e já remete à fivelas e laços, tudo rosa e lilás.
Pena q nem sempre é assim...rs

 Anna é um moleque.
Embora curta muito batom e maquiagem, ela não usa brincos mais, por exemplo, pq ela acha desnecessário (sim, palavras dela!).
Mas adora um vestido e uma saia. Tenho q admitir q eu me realizo nela.
essa coisa de amar as princesas, é tudo muito mágico.
Mas ela é moleque acima de tudo. Como toda criança deve ser.
Por isso aprendi na marra a nunca "emperiquitar" demais qdo temos uma festa.
Criança tem de ser livre. E o conforto pra brincar é essencial.
Me da uma certa agonia de ver meninas engomadinhas em festinhas infantis.
 
Diário de uma mãe de dois
Qdo engravidei de novo, eu confesso, queria outra menina.
Acho q até pela comodidade, pelo fato de não querer sair da minha zona de conforto.
Mas com 21 semanas descobri que aquele meu mundinho cor de rosa, teria bordas azuis.
Tomei um baita susto!
"Meu Deus, como vou cuidar de um pinto?".
Saí q nem louca pesquisando e lendo tudo q eu encontrava sobre criação de meninos.
Como eles eram, o q gostavam, se dormiam, comiam ou eram mais agarrados às mães.
Tudo teoria.
A prática mesmo viria depois do nascimento, claro.

Uma coisa me deixava agoniada: as pessoas enxergam mulheres que têm um casal de filhos como "abençoados".
Não vejo, nunca vi e nunca verei dessa forma.
É bacana conhecer todos os lados do ser humano? Sim.
Mas benção mesmo é ter filhos.
Um, dois, duas meninas, dois meninos, cinco sortidos, um casal.
Não interessa.
Abençoada é aquela q pode ter.
Sendo essa criança gerada no seu próprio ventre ou apenas no coração.
O sexo dessa criança pouquíssimo interessa e importa.
 

Qdo me vi de fato, mãe de uma menina e de um menino e conforme o tempo foi passando, pude começar a enxergar (embora tudo ainda esteja muito no começo) certas diferenças.
Óbvio que há a diferença de personalidade, que tb é indiferente ao sexo.
Cada criança tem seu ritmo, seu jeito de ser, sua personalidade.
Mas a começar pelo básico, as roupas, é tudo muito diferente.
Meninos são mais fáceis.
A gente nem perde tempo colocando penduricalhos.
Meninas saem da maternidade com laços maiores que elas na cabeça, toda de cor de rosa, mais parecendo uma boneca.
Menino vc logo coloca um macacão em dias frios, uma bermudinha em dias quentes e pronto.
Se não tiver cabelo pra pentear então, mais fácil.
Meninas pedem fivelas, chiquinha, laços e tudo mais.
Meninos não pedem nada.

Embora eu continue achando que cuidar de menina seja mais fácil, me pego agradecendo à praticidade de um body com calça apenas dos meninos.

Arrumar malas, penteados, guarda roupa de meninos é muito mais simplório.

Meninas carregam malas gigantes e seus acessórios à tira colo.
Fora os milhares de pares de sapatos quase q obrigatórios pro sexo feminino, desde que nascem.
Bernardo por exemplo, nem sapato tem ainda. E olha que já vai completar 1 ano daqui a pouco...rs
 

As coisas menos práticas da diferença do sexo deles, isso, eu só saberei e verei mais pra frente.

Dizem que meninos dão mais trabalho na adolescência.
Não sei.
Continuo achando e indo pelo caminho de que não depende do sexo e sim de cada ser.
Cada um tem seu jeito particular de viver.
 

Mas vamos aguardar as épocas mais complicadas pra ver se isso de "menina da mais trabalho, menino dá mais trabalho" e pronto.
O legal é q eu terei sempre esse parâmetro.
 
Mas o legal mesmo é poder acompanhar o crescimento e o amadurecimento dos dois lados da moeda.
Confesso q isso me anima.
Vamos ver o q está por vir.

Minha foto preferida deles


Mas de qlq forma, ser mãe deles dois é o maior presente que eu poderia ter ganho na vida toda.
Não há satisfação maior de sentir e de amar essas duas figurinhas e é imensurável o quão feliz eu sou nessa condição!!!!


Beijos
Thania
http://acaminhodopositivo.blogspot.com.br/
https://www.facebook.com/pages/Di%C3%A1rio-de-uma-m%C3%A3e-de-dois/245065308845311?fref=ts


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.