Autista não gosta...

           
 Oie pessoas...
Saudade master dos textos da Dalila <3
 
 
Gente, que saudade que eu estava de vir aqui!!!

 Meu sumiço envolve tantas coisas... mas o que seria da vida sem as “tantas coisas”, não é verdade?!
Hoje vim aqui contar pra vocês uma coisinha que me dei conta faz bem pouco tempo e que tem me ajudado muito a ajudar o meu filho.
 
Desde o início da minha jornada, como mãe de autista, ouço muito (e usei por algum tempo) a expressão: “ele não gosta”. Até aqui no blog, nas primeiras postagens, eu usei essa expressão para designar diversas características do meu filho. Então é muito comum ouvir dizer que a criança autista:
 
àNÃO GOSTA de toque
àNÃO GOSTA de brincar com outras crianças
àNÃO GOSTA de olhar nos olhos
àNÃO GOSTA de comer certos alimentos etc etc etc
 
E eu extingui essa expressão da minha vida quando me dei conta de que NÃO É UMA QUESTÃO DE GOSTO! Só isso.
 
Vou explicar:
Sabe quando alguém lixa a unha perto de você? Aquele barulhinho dá uma sensação de agonia?
Ou quando alguém passa as unhas no quadro negro e faz aquele barulho que nos faz trancar os dentes?
 
A gente diz que não gosta, mas não é só questão de gostar, mas de ter uma sensação desagradável e incômoda.
 
Autistas têm uma sensação parecida quando expostos a situações que, para nós, são corriqueiras: música, abraços, alimentos...
Autistas podem ter um desequilíbrio de sensibilidade, ou seja, pode ter baixa ou alta sensibilidade em qualquer dos órgãos sensoriais: visão, audição, tato, paladar e olfato. (Eu falei um pouco disso faz mais ou menos um ano aqui).
 
Aqui em casa Pedro age assim:
O suco tem que ser amarelo. Pode ser abacaxi, manga, acerola, laranja, maracujá... Se for amarelo ele toma todinho!
 
O almoço tem que ser uma coisa só: se for macarrão, só macarrão! Sem molho, sem pedacinho de nada; só cozido na água e sal! (Eca!) Aí eu uso água de cozimento de verduras para cozinhar o macarrão. Ele também gosta de arroz com “caldinho”, que é o caldo ralinho de carne, sem pedacinho nenhum de tempero, nem de carne!
 
Tem vezes que ele quer ficar só de tênis. Sem roupa nenhuma! Arranca toda a roupa e sai peladão pela casa.
 
Ele também não pega em nada que tenha textura pegajosa. Até comprei aquelas “gelecas” coloridas para ele se familiarizar...
 
Ele já abraça, já olha nos olhos (bem rapidinho) e não liga muito para outros detalhes. Mas tudo isso é uma luta diária, são hábitos que a gente vai mudando aos poucos, vai adequando as necessidades dele às coisas que ele aceita. E haja criatividade!!! É preciso estar alerta para entender que nem tudo é tão simplório, que o autista desenvolve padrões e categorizam tudo o que há ao seu redor; e que nosso papel enquanto pais/professores/cuidadores é fazer essa mediação entre a criança e o mundo, propiciando o crescimento desse repertório tão reduzido no autista.
 
Sabe uma coisa que ele GOSTA? Bob Esponja Calça Quadrada! Aí a mamãe vai pra cozinha, bate uma massa de panqueca cheia de verduras (acrescento o que tiver no dia: feijão, couve-flor, linhaça, chia...), coloca numa bisnaga e faz panquecas nutritivas em formato de BOB ESPONJA! Aí ele começa a ACEITAR de panquecas, depois ele pode escolher se GOSTA ou não.
 
 
Esse assunto é tããããão abrangente que a gente podia ficar aqui de papo por longas horas... porque é sempre bom falar de gostos. Pelo menos, eu gosto!
 
Beijos +Dali Valentim 

Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Adorei o post e como vc lida com isso ... Parabéns e sucesso para vcs
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Nossa, muito interessante. Assim a gente começa a entender melhor. Realmente é lindo ver a sua criatividade e o amor com que você lida com essas limitações! Fantástico! Que Deus te abençoe sempre!
    beijos
    www.mamaeaprendiz.com

    ResponderExcluir
  3. Deus os abençoe,lindo como cuida do seu filho,com uma sensibilidade e um amor tão grande vindo do coração de Deus e assim ajudando também outras mamães,bjs!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...