Olhe atentamente...enquanto é tempo...não viva sem ver...

Oie
Estrelando nosso novo designer, nada mais justo que um lindo texto da minha primeira colunista....

Um texto lindo, sobre atenção as coisas simples da vida, aquelas que muitas vezes não damos o merecido valor!

Por incrível que pareça minha vizinha tem a mesma árvore plantada na calçada, sempre achei linda as flores parecem um buque de noiva!!!



Olhando para esta bela "Sibipiruna", árvore de grande porte, que pode atingir até 20 metros de altura, de copa arredondada e muito vistosa, que fica em frente a minha casa, não dá para acreditar que só, hoje, depois de trinta e dois anos, pude, realmente, ver como são suas flores. 

Sempre via parte delas...caídas ao chão... formando um grande tapete...mas​ nunca tinha notado o quanto são belas...notava, sim, que quando florescia, de setembro a outubro, o vento levava as suas pétalas e os folíolos, parte das folhas compostas e bipinadas, para a porta da minha casa...e sujava muito...até me irritava... Isso eu via...mas suas flores, não!!





Por que só agora esta linda árvore me chamou atenção...se todos os anos florescia...durante um mês, cobrindo calçadas e ruas de flores...em alguns pontos da cidade, em poucos lugares, onde seus moradores as deixaram sobreviver...e nada...só agora pude olhar para cima...e ver que suas flores são de uma beleza extraordinária...reunidas em cachos eretos - com um pedúnculo que sustenta a inflorescências de coloração amarela, feitas com o mais perfeito capricho da natureza.

Por que foi preciso que eu envelhecesse...para notar...o quanto tempo perdi, vendo sem ver....? Por onde olhava que não via tanta beleza!? Com certeza, não deixei de enxergar apenas as flores!! Deixei de ver tantas outras coisas essenciais e importantíssimas em minha vida. 

Talvez deixei de enxergar melhor até a minha mãe, o meu pai, os meus irmãos e também os meus filhos e o meu marido...Meus pais já os perdi, já não posso fazer mais nada. Precisou que eles morressem para eu sentir que podia ter os visitados mais. Meus filhos... foi preciso que eles crescessem para que eu me conscientizasse de que poderia ter sido mais presente...Que precisava ter agido desse jeito ou daquele para ter acertando mais.

Por que só agora? Por que me envolvi tanto...trabalhando, educando os filhos dos outros e esqueci dos meus? Eu não havia reparado isso... Aliás, não reparava quase nada, minha vida foi  muito corrida....e, agora... quando tenho tempo, perco-me calada, sozinha, diante da internet, do meu computador ou do meu celular, com os meus amigos virtuais...que muitos deles, pouco, os conheço. É tanta informação, que me perco horas e horas ali...e esqueço de viver...a vida real.

Meu filhos, sempre, estavam a minha espera, quando eram crianças, para brincar com eles. O mais velho dizia: "Mãe, joga vídeo game comigo? Eu dizia: "Espere um pouco, meu filho, preciso colocar em dias os meus planos...é tanta coisa, meu filho". 

"Ehhh!...meu filho, espere só um instante, a mamãe já está indo..."

"Ehhhh, meu filho, não sei jogar video game mesmo! Nunca aprendi a andar​ de bicicleta! Vai lá ver....a sua irmãzinha, vai lá ver o papai... Ele/ ela está te chamando..." (Tentando chamar atenção do filho para outra coisa...e terminar os meus afazeres...que eram muitos e não podiam esperar).

Nunca tive tempo...meu esposo reclama.  O trabalho tbém me consumiu...Tenho muita coisa para olhar... Será que você não entende, ele me dizia, dependo delas...Nunca tive tempo nem para mim. Nunca tirei férias..."Vivi apenas para a família". Estou muito cansado, o pai diz.  Deixa o papai descansar. Depois, o papai vai...A mamãe já está indo...

Bem assim...se alguém tivesse me perguntado como eram as flores desta Sibipiruna, eu não saberia dizer. Em 32 anos, nunca as tinha visto. Olhava... mas não enxergava, estava tão focada em outras coisas... Só agora, depois de bem madura, com mais experiência, pude ver melhor as coisas ao meu redor.

Foi isso que aconteceu, exatamente, comigo, VI SEM ENXERGAR...Via tão superficialmente, que não possibilitou nenhum registro. Infelizmente, muitas coisas da vida são inadiáveis, mas você só entende ou compreende melhor depois que as perde ou não pode fazer mais nada.


E...enfim...essa consciência só foi possível hoje. Agora lhe pergunto: Como você está vivendo? Como está a sua rotina com os seus filhos? Com a esposa ou com o esposo? Como está a sua atenção com os seus pais? Pense nisto! Também preciso pensar, antes que seja tarde demais!!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.