"Conecte - se ao que importa"


Olá Famílias!

Hoje nossa colunista traz uma reflexão, meio que um tapa na cara...admito rsrs, leiam com carinho!
Bjs


 

O celular, hoje, tornou-se tão necessário que, na falta dele, as pessoas não saberão o quê fazer... Além de nos trazer​ e levar "n" informações de/a vários cantos e a milhões de usuários, conhecidos ou não, que é muito gratificante; é uma forma que muitas pessoas estão encontrando, ultimamente, para se deslocar da rotina estressante do dia a dia, em casa mesmo, ou depois do trabalho... aliviando as tensões tão frequentes, as angústias, as preocupações, as incompletudes, a solidão etc. 

 

Cada um busca nele a sua própria válvula de escape, de acordo com o tempo que dispõe...principalmente, se não há algo que possa lhe dar um prazer momentâneo ou um sentimento de propósito. Mas a maioria, mesmo em meio aos afazeres domésticos e  cuidados com as crianças ou outros, está conectada quase o tempo todo que pode. 

 

Se o nosso tempo era pequeno com a intensa correria, do dia a dia...do mês a mês.. , do entra ano e sai ano....sem férias...sem feriado... lavando, cuidando, trocando, corrigindo, limpando mimando, explicando, cozinhando, alimentando, passando, orientando, arrumando, banhando, amamentando...etc...imagine, agora....contudo, as mulheres mais jovens ou não estão, sempre, arrumando​ um tempinho para ficarem conectadas.

 

Existem pessoas que, mesmo no trabalho, fazem quase tudo falando ao celular... Você já viu gente assim...? Está ali cortando o seu cabelo ou escovando...e a profissional está falando ao telefone o tempo todo! Tem gente que aproveita até o tempinho que está amamentando...

 

Isso acontece, muitas vezes, até sem perceber...O hábito está quase virando vício, praticamente uma nomofobia..."em que a pessoa se vê incontactável... se o aparelho de celular ou qualquer outro telemóvel ou dispositivo com a internet não estejam ali do seu lado". Às vezes, uma pessoa está conversando com outra...mas a outra está respondendo só em monossílabos e interjeições...."Oi /Oh/ Eh!/Ah!/ ann! /é /sim/ vou/ tá"...pois está conectada... passando mensagens, escrevendo ou lendo, ao mesmo tempo, que conversa com a outra pessoa. Isso não está acontecendo com você não!?

 

Muitas mulheres - esposas, mães, que eram super dedicadas, zelosas carinhosas, passaram a descuidar dos afazeres da casa, da alimentação da família e de outras responsabilidades.  E, por isso, a panela queima, o leite derrama...a banheira enche...e as horas passam...

 

Muitos maridos, por sua vez, também, estão muito mais presos aos jogos e outros contatos on - line do que à família.  Há jogos e mensagens que estão até tirando o sono de muita gente...desfazendo até casamentos...por tantas intimidades com outras e outros, e por jogos no próprio celular, etc.

 

Enquanto o vício estiver prejudicando só o casal, que são adultos, usando uma expressão bem goiana - "tá ruim, mas tá bão". O prejuízo imensurável fica quando os filhos pequenos estão sendo trocados e estimulados a fazerem a mesma coisa, além da falta de cuidados, da falta de diálogo, da falta de carinho dos pais, etc...

 

Infelizmente, muitos pais, ainda, não se deram conta de que o vínculo entre pais e filhos, o diálogo familiar durante as refeições e as brincadeiras familiares estão perdendo cada dia mais lugar pelo celular... E isso é muito perigoso. 

 

Portanto...pense nisso antes que seja tarde demais!! Conectar- se ao que importa, equivale dedicar atenção especial àqueles que estão também ao nosso lado, como: filhos, marido/ esposa, pais, familiares, amigos ou outros que estão próximos de nós por alguma circunstância. 


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.