Competências maternas x Futuro dos nossos filhos

Oi pessoas!

Ando meio atolada entre informações demais rsrs e a educação do moleque e talvez seja o mesmo dilema ou contradição que a sua...então resolvi compartilhar minhas desventuras e devaneios na educação dele com vcs.

Ainda tenho o dilema em escolher a melhor escola pra ele, em que ele não tenha que se "adaptar" e sim a escola acolher ele como ele é, entendem?

Difícil né?

Pois é não falo em adaptação escolar nos primeiros dias de aula, mesmo porque já passamos desta fase com 8 anos e já indo para o terceiro ano então, esta teoricamente "adaptado" a rotina escolar.

O que eu digo é a escola conhecer ele a família dele e à partir daí suprir as necessidades de ensino dele. Por exemplo ele é um bom aluno e não solicita a professora que o ensine, aprende rápido, mas isso não quer dizer que não precise da "atenção" dela. Isso mesmo, crianças fáceis de lidar e fáceis de aprender também precisam de atenção do professor.

Ele gosta de por exemplo aprender algo e repassar o que aprendeu seja para o próprio professor, seja para os amigos...mas a maioria das vezes ele não é ouvido e se frusta com isso e depois de um ano assim a vontade de aprender coisas novas e até mesmo de ir pra escola aprender fica algo penoso, desmotivante e chato.

Ai você lê isso e pensa, ele precisa aprender pra ele (eu sei e estamos aprendendo isso aos poucos ele ainda é criança e gosta de atenção como qq um, quem não gosta), ele precisa aprender a lidar com a frustração, tbe acredito nisso, mas confesso parte o coração vendo ele querendo ser mais participativo no seu processo educacional escolar e se frustar por não ser.

Ele entende bem o "não", ainda bem né rsrsrs consegui ensinar isso à ele!

Mas ele não entende a falta de resposta e ainda não lê mente ou palavras subliminares do professor...precisa ser claro, não pode agora?

Tá bom, por que ?

Pode quando?

E aquilo que aprendeu e tinha tanta vontade em dividir...acaba no esquecimento...passa o " time" a hora.

Trabalhos hoje não tem apresentação deles apenas a entrega deles, será que assim é o certo?

Muita coisa pra ensinar em pouco tempo,ter atenção individual ao aluno parece ser algo surreal. Parar para ouvi-lo em meio a uma sala tumultuada também não deve ser fácil eu entendo, mas estou falando como mãe e o que sinto e não sei o outro lado.

 Queria muito ouvir o que a professora acha dele, se ela o conhece...mas esbarramos na porcaria do " pedagogês " e pra falar uns minutos com a professora somente... com a coordenadora e horário marcado, tudo milimetricamente pensado, pra passar pra mãe... né porque afinal depois de ser mãe perdi minha identidade e não me chamam pelo nome e apenas mãe.

Eu confesso meu filho me chamando de mãe....simplesmente amo, professoras e afins escolares odeio (falei =P)

Elas não me conhecem, não sabem da minha vida e da educação escolar que desejo pra ele,  por que né enfim vc escolheu "nossa escola sabe o que te espera " não... não sabemos!

Só sabemos quando eles começam a estudar lá, pois nem sempre o que a escola prega e o que o professor pratica... infelizmente, não por maldade, não me entendam mal professores. Mas por ter outro método de trabalho e também por ser cobrado por resultados como qq funcionário.

Ai me pego pensando em Homeschooling  sim, não por nada religioso, nem pq não quero que ele conviva com outras crianças, mas por estar descrente nesta metodologia falida e arcaica de ensino que não presa ao meu ver o principal que é o "aluno" o que ele sabe, a bagagem que já traz de casa, o que ele gosta de estudar, ou que tem facilidade em aprender.

Ai estes dias vi uma reportagem que me deixou muito feliz sobre uma escola pública que esta com um modelo novo de ensino...fiquei tão feliz!!!!!

Nada de provas a prioridade é o saber do aluno o professor não é centro do saber é quem direciona o aprendizado do aluno (são tutores), junto com outros alunos de diversas idades(eles aprendem muito rápido com outras crianças, porque a linguagem é diferente simplesmente assim)

Crianças de diversas idades estudando juntas...muito parecida com as escolas montessorianas que já falei gosto demais. (pena ser tão longe de casa)


Vejo que em muitas escolas, incluindo a do meu moleque. Não existe mais competição... por que?

Que hora melhor para ensinar uma criança a ganhar, perder, treinar, ter vontade em ser o primeiro...quando adultos?

Depois que não sabem trabalhar em equipe, não sabem criar, deixam o projeto no meio do caminho...ninguém entende onde errou?

Crianças aprende melhor o que vivência, competir não é errado, querer ser o melhor não é errado, tudo depende da dose e de como tratamos isso. Quer melhor hora pra ensinar isso que na infância?

Estamos presos a escolas que preparem nossos filhos para o trabalho e esquecemos que precisamos de escolas que  nos ajudem a prepará-los para a vida em sociedade, a serem empreendedores, a serem competitivos...por que não?


Isso me lembra muito um vídeo do Professor de ética da USP o professor Clovis (em algum momento já deve ter ouvido falar nele se não, assistam aqui ele falando sobre como estamos preparando nossos filhos e também como fomos preparados) Palestra Professor Clovis- Ensinando a caçar cenouras

No fundo é assim que fomos criados... e é assim  que devemos passar isso aos nossos filhos?

Eu não concordo não, quero algo diferente pra ele!

Caramba no final do curso de ser mãe, vou ter que apresentar minhas competências maternas?

Que no fundo é isso né, só serei uma boa mãe se seguir a cartilha da super mãe perfeita a risca, assim meu filho será um excelente ... caçador de cenouras =P

imagens retiradas do google
Quero ele um cidadão de bem, integrante na sociedade!

Quero que seja um empregador justo e criativo!

Quero que ele acima de tudo seja um homem realizado e certo das suas escolhas!

O que vc deseja pro seu filho?

Ah mãe de moleque ele ainda é muito pequeno...

Pode ser...mas não custa pensar e se preparar para estas questões não é?

Pode acreditar um dia elas surgiram na sua cabeça de mãe também!

Beijos de luz

+Mãe de Moleque









5 comentários:

  1. Adorei sua reflexão!! Passei por uma situação ano passado onde percebi que a Bia precisava de mais...mais estímulos, mais espaço, mais reflexão na escola. Tudo estava muito fácil, afinal uma escola tradicional não ensina o aluno a pensar, não oferece desafios, apenas estudar, decorar e responder questões!!Este ano, mudamos ela de escola e o resultado foi incrível...as notas, nem tanto, mas vejo como ela está desafiada, com mais interesse e até mais responsabilidade! Por enquanto está feliz e é isso que desejo! Em SP vc conhece a Escola da Vila?
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, não conheço esta escola. Onde fica?
      Que bom que sente que a Bia esta melhor lá, mesmo as notas não sendo boas. O importante ela se sentir amparada quando quiser ir em frente sem medo.
      Bjs

      Excluir
  2. Amiga amei seu texto, como sempre dando a cara a tapa, doa a quem doer, sei como é, quando escolhemos uma escola para nossos filhos, colocamos na X por acharmos, através de visitas e conversas que aquela seria a melhor opção, que estaria mais próximo do que queremos, e nem sempre as coisas são como pareciam ser, sim nada e perfeito, nem a escola, nem os professores, coordenadores, mais acredito que tento uma interação maior, o tal "família x escola caminhando juntos" as coisas poderiam ser bem melhores, vc sabe tive problemas com a escola anterior do Gui, e hoje ainda tendo noticias das coisas que acontecem lá pelas mães dos amiguinhos dele, acredito que fiz a coisa certa em tira-lo de lá, agora se acertei nessa nova escola, ai só mais para frente posso dizer, o que digo agora é que no momento está sendo o certo, tenho contato com a professora e a auxiliar, a coordenadora está sempre na porta na entrada e na saída, se não está na porta está na recepção olhando quem entra e quem sai, a tia que abre o portão sabe quem é quem dos alunos (e digo isso pois ela conhece por nome e lembra de muitos que não estudam lá mais que é o caso do meu vizinho), conversa com a gente como se fosse amiga de longa data, e quando temos algum problema, já vi mãe chegando na nora da entrada e falando que precisava falar com a professora, e ela só pediu para aguardar a auxiliar chegar e já iria atender, a coordenadora também, se você chegar lá e fala que quer conversar ela te atende na hora, e se precisar depois marca um horário para conversar mais, e sempre ouve e te dá alternativas não é de impor isso ou aquilo, ela tenta vê o que fica bom para os dois lados.
    Espero que vc encontre o melhor para o moleque

    Bjs Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eita livro rsrsrs
    Bom a gente conversa bastante né Mi, sabe dos meus percalços e da minha sofrência com isso.
    Mas no final acaba prevalecendo ainda, o custo X beneficio e vou aqui em casa dando o suporte que ele precisa.
    Que bom que o Gui esta sendo bem tratado assim aquece o coração de qq mãe, né?
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Excelente reflexão! Sabe, ainda não cheguei nessa fase (a Mari, mais velha, ainda está no pré), mas eles estudam numa escola pequena, e lendo o comentário da Mi Gobbato acima, eu vi que a escola dos meus filhos é bem parecida com a do filho dela. Quando escolhi a escola, eu queria uma pequena, onde todos se conhecessem, porque na época, a Mari tinha 6 meses e ia ficar o dia todo na escola, eu trabalhava fora. Na verdade esse é o primeiro ano que ela não fica o dia todo (vai fazer 5 anos). Então eu busquei uma escola onde eu tivesse esse "acesso" aos professores, coordenadores que você reclamou que não tem. Eu sempre converso com a professora da Mari e com a do Biel (3 anos), tenho liberdade de entrar e sair sem hora marcada e autoridade para reclamar direto com elas quando não concordo com algo. Como te disse, eles ainda são novinhos, mas vendo sua reflexão, com certeza é hora de repensar a escola do moleque. Eu acho que quando o filho desanima e perde a vontade de ir para a escola/estudar/aprender é um sinal alarmante de que algo está errado. Não digo que a escola é totalmente errada, mas tem métodos ou professores que não combinam com aquelas crianças. E a escola tem que ter o método que combina com o seu filho. Ele tem que "se encontrar" lá, não é mesmo? Sei que escolas perfeitas não existem... mas sei que sempre tem alguma que combina melhor com nosso jeito de ser... Espero que encontre a sua!!!
    Um beijo!!
    http://www.mamaeaprendiz.com/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.